domingo, 30 de agosto de 2009

PSDB sufoca educação em Roraima, trabalhadores reagem!

A GREVE CONTINUA: 20°. DIA E NOSSA RESISTÊNCIA É TOTAL!!!
Fonte: Centro de Mídia Independente
O MOTE é qualquer professor, qualquer trabalhador em educação, que se indigne com a situação em que se encontra a educação no estado de Roraima, a situação em que se encontra o estado de Roraima, a situação em que se encontram o país e o mundo...

A GREVE CONTINUA: 20°. DIA E NOSSA RESISTÊNCIA É TOTAL!!!
Parabéns trabalhadores em educação de Roraima! A luta continua! Os ataques do governante de plantão (Anchieta Jr.-PSDB) também, mas é através de nossa RESISTÊNCIA que construiremos um movimento maior, que transcenda os limites de reivindicações pontuais para uma pauta maior que é a construção de uma sociedade justa, igualitária e livre.
O governador de Roraima veicula informações distorcidas via televisão e rádio, compara o salário do estado ao miserável salário do professor de nível médio do Rio de Janeiro, como se este fosse o padrão nacional, mas não discute o imenso repasse federal per capita para a educação em Roraima, devido ao baixo número de habitantes. O dinheiro sobra, e as escolas estão caindo e as nossas perdas salariais chegam a mais de 80% (IBGE) para os concursados de 1994, por exemplo. Se nosso salário é maior que o do Rio ou São Paulo é pela luta de anos e anos da categoria, e não benevolência de governo algum. O mesmo governador que vai à televisão mentir para a população, está com indicativo de cassação de mandato (de novo)... Superfaturamento na compra de fardamentos escolares, contratação de empresa picareta para gerenciar a folha de pagamento, sem contar a destruição do aparelho e espaços públicos no estado (hospitais, escolas, praças). Ainda as nefastas terceirizações de atividade-meio (limpeza, merenda, etc.) na educação (e em todas as áreas da administração) fazem parte da velha política neoliberal de FHC (continuada por Lula) e derrotada em grande parte da América Latina. Trata-se de política desumana e superada, mas preconizada pelos governos de plantão de nosso país... Tal política de ?gerencialismo?, no âmbito da educação, especificamente em Roraima, significa risco para a saúde de alunos e funcionários, devido à péssima qualidade da merenda.
Por esses e outros motivos acreditamos que a luta é local, mas não só. O sindicato se configura em um instrumento legítimo de luta dos trabalhadores dentro da sociedade de classes, e, como tal, não deve atrelar-se a governo algum ou aos seus interesses, seja na esfera municipal, estadual ou federal. Dizemos ?governante de plantão?, pois fosse, em Roraima, um governo aliado ao Lula (PT) a situação não seria diferente. Eles (governantes) são os mesmos, com as mesmas idéias, a mesma corrupção, a mesma velha politicagem. Basta analisar a conjuntura política local para desnudar-se o quadro nacional: Romero Jucá e companhia estão com Lula e o PT, assim como Lula e o PT mantém José Sarney no poder. Ao mesmo tempo a Tereza Jucá, atualmente com Lula, abre possibilidade de ser vice em uma eventual candidatura de Anchieta do PSDB (??). Coronéis e oligarcas dos tempos da ditadura ainda dominam esse país, e uma confusão entre ?esquerda e direita? deixam o trabalhador perplexo, desacreditado, vulnerável a populistas-personalistas. Por isso acreditamos que a luta política deve situar-se nas ruas, nos locais de trabalho, através de organizações de base, longe da patifaria da política eleitoreira. Por isso nos denominamos MOVIMENTO, por isso falamos com liberdade, sem rabo preso, sem ter medo de mostrar a cara. Todos conhecem as nossas caras e nunca escondemo-las.
O MOTE é qualquer professor, qualquer trabalhador em educação, que se indigne com a situação em que se encontra a educação no estado de Roraima, a situação em que se encontra o estado de Roraima, a situação em que se encontram o país e o mundo... Somos oposição à política direcional do sindicato pelas razões explicitadas acima, pela atrelação da luta à eleição e interesses eleitoreiros. Política não se faz somente com eleição, isso é muito cômodo. Não se pede licença para mudar a história, e não são os Lulas, Sarneys ou Jucás da vida que transformarão esse país em um lugar minimamente digno de se viver. E que dizer então de uma verdadeira transformação, uma revolução social? Nunca. Para esses e seus asseclas, ?revolução? é palavra anacrônica, pois representa tudo o que eles não querem: perda de seus privilégios.
Mantenhamo-nos de pé companheiros!!!
Destituição dos atuais gestores e eleições diretas para gestor escolar!!!
Fim das terceirizações!!!
Por um mundo justo e igualitário!!!
Revolucionar sempre!!!


Email:: mote.sinter@yahoo.com.br
URL:: http://greveprofessoresrr.blog.terra.com.br/

Um comentário:

cappacete disse...

Confesso que ultimamente ando sentindo vergonha de ser paulista viu...